EPISÓDIO 8

Ano novo, vida nova!
Abril 21, 2022

Ano novo, vida nova!

10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1… Feliz ano novo! Feliz 2022! Foi assim, com ou sem espumante, em cima de uma cadeira ou não, com ou sem passas, a ver a TV ou os fogos de artifício “caseiros”… lá abrimos um novo ciclo, uma nova volta do nosso planeta ao sol.

É, por excelência, um momento de balanço do ano que termina e também um momento de planificação do ano que começa. Bem, a verdade é que é mais de formulação de desejos do que de objetivos. Isto porque, pegando em dois exemplos clássicos, pensar que “este ano vou fazer mais atividade física” ou “este ano vou emagrecer”, são desejos que para se tornarem em objetivos precisam de ser mais específicos (o que vou fazer para emagrecer?), mensuráveis (quantos kg quero emagrecer?), realistas, desafiantes mas alcançáveis e circunscritos no tempo (quantos Kg por mês quero perder?).

Outro clássico é o desejo de saúde, para nós e para os nossos. Um pedido que surge, curiosamente, na altura do ano em que temos menos cuidado com a alimentação, praticamos menos atividade física e os índices de stresse são elevados. Ou seja, o pleno dos três “venenos” que mais põem em causa o nosso estado geral de saúde.

É uma altura do ano em que também a internet fica repleta de frases inspiradores, via influencers, coaches e similares, quer em sites ou blogues, quer nas redes sociais. Vão dos simples clichês, às reflexões mais profundas. Em poucos minutos, encontrei mais de 20 pensamentos interessantes, mas decidi fazer como os citadores anteriores e deixar-vos em seguida um top 10, que selecionei a pensar em vocês. Não consegui verificar, com clareza, o autor de cada uma das frases. Algumas são citações de citações que, investigando, vão desaguar em “autor desconhecido”. Mas isso também não é o mais importante para aqui.

Vamos lá então:

  1. “Todos nós desejamos um feliz ano novo, mas sermos mesmo felizes neste ano depende da atitude de cada um de nós”. Sim porque ser feliz não corresponde a um desejo nem é uma consequência, acima de tudo é uma atitude que devemos ter perante a vida.
  2. “Embora ninguém possa voltar atrás para fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo final”. Nunca é tarde. Está sempre nas nossas mãos a possibilidade de mudar, corrigir, recomeçar.
  3. “Mais importante do que decidir o que se vai fazer, é decidir o que se vai deixar de fazer”. Uma das coisas mais preciosas que temos é o tempo. É determinante priorizar o que vamos fazer sem remorsos sobre o que não vamos poder continuar a fazer, porque nos faz mal ou por falta de tempo.
  4. “Não é tanto o facto de vivermos um curto período de tempo, mas mais o que desperdiçamos dele”. Este pensamento leva-me a uma entrevista que vi recentemente, a um reputado médico português, no âmbito da reflexão na dicotomia entre longevidade e qualidade de vida. De facto, este desejo que temos de prolongar a nossa longevidade, muitas vezes para lá do que é razoável, acaba por ter implicações na nossa saúde. A questão não deve ser a de conseguir viver até aos 100 anos… é a qualidade de vida com que queremos viver enquanto cá andarmos.
  5. “Escolher objetivos e fazer planos é importante, escolher aliados e parceiros é decisivo”. Se há regra que o basquetebol me ensinou para a vida é que ninguém atinge o sucesso sozinho. Ninguém. Nós somos seres sociais que dependem de todos os que estão à nossa volta. As escolhas que fazemos têm sempre impacto direto na nossa vida, e às vezes na de outros. Encontrar as pessoas certas para nos acompanharem e aconselharem é dos melhores atalhos para sermos bem sucedidos.
  6. “Tudo o que planeamos é uma espécie de plano B. O que vai realmente acontecer é outra coisa. E talvez melhor!”. A vida é como um jogo – absolutamente imprevisível. Com tudo de bom e de mau que isso acarreta. Nem todos os nossos planos ou objetivos se conseguirão concretizar, e isso não deve constituir um problema. A vida está cheia de desafios e oportunidades para podermos agarrar.
  7. “Alcançar um objetivo não pode ser à custa da nossa saúde nem da nossa integridade”. Os nossos valores e a nossa ética não estão à venda. E a nossa saúde é o bem mais precioso que temos… sem saúde, tudo se torna muito mais complicado.
  8. “Saber viver também é saber ressignificar”. Redefinir, transformar, atribuir um novo significado. São ações que nos ajudam muito a balizar e a crescer.
  9. “Reconhecer que a maior parte das nossas opiniões, são só opiniões”. Que não têm de agradar nem ser consensuais, mas que não podem é ser absolutistas ou autoritárias. Isto também nos remete para a tolerância e para o respeito pela opinião dos outros.
  10. “Fugir da loucura que é a de não fazer nenhuma loucura”. Porque só temos uma vida! Bora lá vivê-la ao máximo!

Um feliz 2022 para todos, cheio de cestos!